top of page

Novo projeto para lidar com a escassez de especialistas em sistemas de informação em saúde no Nepal

O Iscte - Insituto Universitário de Lisboa estabeleceu uma parceria com as Universidades de Oslo (Noruega), Kathmandu (Nepal) e Pokhara (Nepal) num novo projeto financiado pelo Erasmus + Capacity Building in Higher Education (Strand 2 - Partnerships for transformation in higher Education) com o objetivo de fazer face à escassez de especialistas em sistemas de informação sanitária no Nepal.

© 2019 Shubham Sharan | Unsplash


O projeto Nepalese Education in E-health - Master (NEEM) procura colmatar a falta de especialistas em sistemas de informação da saúde no Nepal, estabelecendo dois programas de mestrado na Universidade de Kathmandu e na Universidade de Pokhara. Cada programa admitirá dez estudantes no primeiro ano e expandirá para 20 ao longo de um período de dois anos. O programa incluirá um laboratório onde os estudantes de investigação colaborarão com o Ministério da Saúde e outras organizações nepalesas sobre sistemas de informação sanitária no Nepal e que será desenvolvido como um modelo para os Pólos Provinciais de Informação de Saúde previstos pelo Ministério da Saúde. Os laboratórios serão também utilizados para a formação em serviço do pessoal de saúde.


Os parceiros europeus, a Universidade de Oslo (UiO) e o Instituto Universitário de Lisboa, têm uma longa experiência no trabalho com parceiros em Países de Baixo e Médio-baixo Rendimento (Low- and Low Middle-Income Countries, LMIC) e na Europa sobre eHealth. A Universidade de Oslo também está envolvida em projetos de desenvolvimento de cursos com parceiros na Índia e em África, e o material de curso desenvolvido nestes projetos será utilizado como base e adaptado para as universidades de Kathmandu e Pokhara.


O projeto de formação de doutoramento financiará oito professores dos parceiros nepaleses; um na UiO e sete em universidades indianas nas quais a UiO colabora no âmbito de projectos académicos na área dos sistemas de informação sanitária. Oito estudantes de mestrado farão visitas de intercâmbio entre o Nepal e a Europa, e serão concedidas bolsas de estudo a quatro estudantes de mestrado do sexo feminino no Nepal.


Espera-se que os programas de mestrado continuem a funcionar após a cessação do financiamento do projeto, que as universidades de Kathmandu e Pokhara atraiam projetos de colaboração no Nepal e internacionais, e que os graduados dos programas de mestrado adquiram competências úteis no seu trabalho.


A equipa de investigadores do Iscte é composta por João Carlos Ferreira (ISTAR), Ana Lúcia Martins e Henrique Martins (BRU), e Sónia Bernardes e David Lourenço Rodrigues (CIS).

52 visualizações

Comments


bottom of page