top of page

Dois projetos financiados pelo Concurso para a Investigação Social da Fundação "la Caixa"

O CIS-Iscte será a instituição de acolhimento de mais dois projetos financiados através do Observatório Social da Fundação “la Caixa”. As investigadoras Marília Prada, Elzbieta Bobrowicz-Campos e Cristina Camilo venceram a edição 2023 do Concurso para a Investigação Social (Social Research Call).

Marília Prada (à esquerda na foto abaixo) coordenará, com Magda Saraiva (WJCR-Ispa), o projeto LessSugar4Kids - Children, parents and teachers’ perspectives on sugar intake reduction, cujo objetivo é analisar a forma como as crianças percecionam o açúcar e o seu consumo. Mais importante, a equipa de investigação pretende complementar a perspetiva da criança com duas fontes centrais de influência social neste grupo etário: os pais e os professores do ensino básico. Considerando que o consumo excessivo de açúcar é altamente prevalente entre as crianças portuguesas, e os seus hábitos alimentares são influenciados por múltiplos fatores individuais e contextuais, este projeto tem uma importante relevância social nas áreas da saúde e educação. Os resultados deste projeto permitirão desenvolver um conjunto de ferramentas para capacitar as crianças e os educadores com estratégias simples para os ajudar a reduzir o consumo de açúcar. Além das coordenadoras do projeto, a equipa do projeto é composta por Margarida Garrido e Lígia Monteiro (CIS-Iscte), João Graça (Universidade de Groningen), e Carla Viegas (Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa).



Elzbieta Bobrowicz-Campos e Cristina Camilo coordenarão o projeto Time-To-Engage: Intentions and behaviours of using digital health technology by older adults: Collaborative research. O objetivo deste projeto é explorar os fatores individuais e contextuais que interferem na intenção de utilizar as tecnologias digitais na saúde por parte dos cidadãos em idade avançada. Pretende também compreender de que forma esses fatores são moldados pelos níveis de competências digitais e de envolvimento e pela disponibilidade, acessibilidade e preço dos equipamentos digitais. Reconhecendo os adultos mais velhos como agentes ativos na sociedade, as investigadoras pretendem alavancar a participação cívica na implementação da saúde digital. Os resultados deste projeto poderão ser úteis para inclusão digital através da definição de soluções baseadas em evidências para a equidade na saúde digital. No caso deste projeto, o financiamento será atribuído no âmbito do Social Research Programme, promovido no contexto de Iniciativa Ibérica de Investigación e Innovación Social, i4S (um acordo entre a Fundação para a Ciência e a Tecnologia do Governo de Portugal e “la Caixa”).



75 visualizações

Comments


bottom of page